Belo Campo

Slice 1 - Image 1 Slice 1 - Image 2 Slice 1 - Image 3 Slice 1 - Image 4
Slice 2 - Image 1 Slice 2 - Image 2 Slice 2 - Image 3 Slice 2 - Image 4
Slice 3 - Image 1 Slice 3 - Image 2 Slice 3 - Image 3 Slice 3 - Image 4
Slice 4 - Image 1 Slice 4 - Image 2 Slice 4 - Image 3 Slice 4 - Image 4

A cidadefotos

A cidadefotos

A cidadefotos

A cidadefotos

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

História

Belo Campo é um município do Sudoeste Baiano pertencente a micro região de Vitória da Conquista, e sua história está intimamente ligada à mesama no sentido histórico, econômico, cultural e social. 
Este município teve a sua origem a partir do desmembramento de Vitoria de Conquista em 23 de fevereiro de 1962, através do decreto de lei estadual nº 1623 o confere a condição de município independente. A localidade foi das possessões de terras da família dos bandeirantes João da Silva Guimarães e João Gonçalves da Costa, portugueses, que na primeira metade do século XVIII, desbravaram a região, que se chamava Sertão da Ressaca, o que equivale à maior parte da região que compõe o sudoeste baiano .







Para melhor compreensão da história desse município vamos a um breve resumo da sua história... 






Aquela região que antes era conhecida por Chapada das Cacimbas tinha um desenho rural, com fazendas que se distanciava uma das outras. No inicio do século XX, em 1903 o visionário Napoleão Ferraz de Araújo migra da região Tremedal inicialmente para uma fazenda chamada Bom Jardim e posteriormente em 1905 o mesmo instala residencial e comercialmente onde hoje é a cidade de Belo Campo, que na época pertencia ao município de Vitória da Conquista o qual com seu espírito empreendedor passa a dedicar-se ao desenvolvimento do povoado que aos poucos nascera para essa empreita contava sempre com o apoio do irmão Cícero Ferraz. 




Mas antes desses fatos da fundação, quando na região o que se tinham eram fazendas dominadas pelo estilo Coronelista que tinha na sua essência o controle político, econômico e ideológico, em que o Coronel polarizava em torno de si um extenso contingente de indivíduos, parentes ou não que dele dependiam social e economicamente, um fato acorrido ganhou grande notoriedade na história e ficou conhecida por Tragédia do Tamanduá, que foi um trágico acontecimento que se desenrolou entre membros de uma mesma família em 20 de outubro de 1895, causando a morte de 22 pessoas. A Fazenda de Tamanduá, de propriedade do Coronel Domingos Ferraz fora cercada por mais de duzentos homens bem armados que mataram os homens, mulheres e crianças que la se encontrava, com requintes de crueldade. 


                                                      Coronel Domingues ferraz
Fonte:http://tabernadahistoriavc.com.br/napoleao-ferraz-como-este-um-em-cada-seculo-na-historia-de-um-povo/



Esse ataque aconteceu em vingança do assassinato de dois homens que acontecera algum tempo atrás com membros de uma família rival que residia numa fazenda vizinha conhecida por fazenda Pau de Espinho. Nesse momento entra em cena uma personagem que marcará essa historia, é Isabel Lopes Nunes Ferraz Moitinho uma mulher forte que tem no seu DNA a essência da cultura coronelista, filha de coronel, esposa de coronel, irmã de coronel, que era sobrinha do então Coronel Domingos Ferraz, que após presenciar a estarrecedora cena de vários corpos de membros de sua família, espalhados por toda casa grande da Fazenda Tamanduá, uns decaptados, outros multilados, outros alvejados por balas outros esfaqueado, jurou vingança naquele momento. Izabelinha emprendeu uma caçada aos assassinos denominados “mocós” para vingar a morte do Coronel Domingos Ferraz e dos seu familiares. Muitos dos homens que participaram da chacina foram executados por ordem de Izabelinha.



 Isabel Lopes Nunes Ferraz Moitinho
                                          Fonte: http://tabernadahistoriavc.com.br/page/104/



Visão Parcial da Cidade


Um comentário:

  1. Minha avó acaba de me relatar que um primo distante era um desses 200 mocós e que morrera tragicamente após se esconder sem nem ir a cidade. Sensacional parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir